22/05/2017

Livro X Filme: Uma Longa Jornada

Desculpem o meu sumiço, mas é que como a maioria de vocês, eu sou feita de fases e tem vezes que eu enjoo daqui e vezes que me dá saudade, então cá estou eu de novo. A vontade de voltar surgiu depois que eu li e assisti Uma Longa Jornada, um livro de Nicholas Sparks, e percebi diversas mudanças do livro pro filme, algumas sutis e outras nem tanto. Senti vontade de compartilhar, então tô aqui. 

ALERTA DE SPOILER (se tu não leu o livro nem assistiu o filme, ressalto que o texto a seguir pode conter spoilers sobre a história)

Antes de mais nada, para que vocês entendam um pouco a história, preciso contar alguns detalhes. Uma Longa Jornada conta duas histórias: a primeira é a de Ira, um cara de 90 e poucos anos que se acidentou e enquanto espera o resgate, revive os maravilhosos anos de seu casamento com Ruth. Juntamente com ele, nós voltamos para o passado, descobrimos como eles se conheceram e como foi a vida de ambos juntos. A segunda história é a de Sophia e Luke: ela é estudante de História da Arte, mora na Casa da Irmandade e terminou recentemente o namoro com Brian, que a traía. Sophia está perto de terminar a faculdade e está a espera de uma oportunidade de emprego em um museu. Do outro lado temos Luke que é um peão de touros que está voltando a ativa, desde que se acidentou um ano antes. O destino de Sophia e Luke se cruzam e, posteriormente, com o de Ira








AGORA VAMOS AO QUE INTERESSA!

Ok, agora posso falar sobre as mudanças que ocorreram. Enquanto no livro iniciamos conhecendo a história de Ira, no filme nós vemos Luke montando há um ano atrás, no dia que foi pisoteado pelo touro e sofreu grandes problemas. Essa é uma mudança sutil e extremamente aceitável, já que é importante sabermos o que aconteceu no passado do Luke. Outra mudança que se enquadra na mesma categoria de 'aceitável' é o fato de Ira ser encontrado logo no início do filme: ao meu ver, essa foi uma das únicas maneiras de vermos o passado dele com Ruth e conhecer a história dos dois na telinha. No livro ele é encontrado somente no final e até ali nós conhecemos a história dele através de flashbacks que ele têm dentro do carro. 



Eu senti falta de conhecer o Brian, admito. Ele é o namorado canalha da Sophia que a traiu e, em parte, foi um dos principais motivos que levaram ela e o Luke a se conhecerem, pelo menos no livro. Além de ser a 'porta de entrada' para a conversa entre os dois, ele ainda armou uma briga contra o Luke quase no final da história. Admito que eu gostaria de ver a briga dos dois, mas infelizmente isso não aconteceu. Preciso falar também sobre a fazenda da mãe do Luke: eu esperava um destaque maior, pelo simples fato de que no livro ela é importantíssima, pois reflete muito nas decisões do dele.



No filme não fica explícito o fato de que Luke está montando para pagar o empréstimo da fazenda, na minha visão eles deram pouca importância a isso. Eles mostram a aversão da mãe dele às montarias, sim, mas em nenhum momento mencionam o fato de que a fazenda está penhorada. Até mesmo porque no livro, quando Luke ganha toda a coleção de Ira, ele vende metade das obras para quitar o empréstimo e as dívidas da fazenda, enquanto no filme não mostram nada disso, apenas uma nova caminhonete, um museu muito do chique e algumas melhorias na fazenda. Eu entendo de verdade que há coisas que devem ser deixadas de fora, mas essa era uma parte extremamente importante da história e eu acredito que o filme teria sido bem melhor e teria mais sentido se a destacasse. 



Por fim, houve outras mudanças mais sutis como a alteração do nome do touro que derrotou Luke e a quantidade de tempo desde a morte de Daniel. Por falar nele, no filme eles também alteraram seu sobrenome e a data de sua morte, que no livro nunca foi especificada. Ah, queria dizer que eu adoro essa história e que ela vale a pena ser lida! ❤ Agora eu quero saber: e tu já leu ou assistiu o filme?

// enjoy it

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Alguns Teoremas © , Todos os Direitos Reservados. DESIGN POR Sadaf F K. | Modificado por Bibi Faccio